Ensaios poéticos

Postagens populares

Caatinga/ mandacaru em flores

Caatinga/ mandacaru em flores

Árvores da Caatinga

Árvores da Caatinga
Mufumbo florido

Visitantes

sábado, 28 de maio de 2011

Uma flor protegida por espinhos - Autoria de Fátima Alves (Poetisa da Caatinga) Cel. João Pessoa/São Miguel/ RN

 Uma flor protegida por espinhos

 Um dia Deus criou uma linda flor
Flor tão magnífica e delicada
Que ele mesmo a olhou e admirou
A beleza que suas mãos criou
Então, nesse momento!
Segurando-a cuidadosamente
Ele pensou...
Onde vou colocar essa linda flor?
E viu tantas árvores e arbustos
Para abrigar essa flor,
Que achou por bem,
Pedir pra ela mesma escolher
Em qual delas a sua energia
Deveria ser colocada
Pra que ela um dia desabrochasse
E a flor, vendo tantas possibilidades
De mostrar sua beleza e enfeitar o mundo
Ficou na dúvida!
Não queria escolher nenhuma daquelas árvores
Porque tinha certo receio
Que algumas delas pudessem ficar tristes
Então ela pediu ao Deus Criador
Que enviasse um nobre beija–flor
Pra procurar em todo o mundo
Uma árvore que fosse bem diferente
De todas que ela havia até então conhecido
E portanto, era lá, que ela queria desabrochar
Aí, o beija-flor, voou por muitos dias
Procurando essa estranha árvore
Até que um certo dia...
Ele chegou num lugar muito seco
E aparentemente triste e sem vida...
Nesse lugar, não havia nenhuma flor
E ao voar em cada canto desse lugar inóspito
Logo encontrou muitas árvores estranhas
Pois em vez de folhas,
Eram cobertas por milhares de espinhos
Então,aproximou-se de uma delas.
Nesse instante! Admirado! Pensou o beija-flor...
Essa árvore! É muito diferente... e deve estar triste...
Mas será que aquela linda flor?
Vai querer que Deus lhe coloque nela?
E meio na dúvida voltou de sua missão
Para dar a notícia a linda flor,
Que havia encontrado uma árvore diferente
Mas a flor, poderia não querer viver entre espinhos
E mais ainda...naquele lugar tão desolador!
Ao chegar contou tudo para a flor
Que ao ouvir-lhe com atenção, chamou Deus e lhe disse:
Meu amado criador!
Podes me colocar na árvore que o beija-flor encontrou
E Deus soprou delicadamente a sua energia sobre a árvore
Que no dia seguinte, em lindo botão transformou-se
E antes da flor mostrar a sua beleza
Veio uma linda chuva cintilante
Recepcionar a flor! E ao mesmo tempo,
Alegrar e trazer à vida àquele lugar
E com gotas de amor lhe banhou com carinho
Fazendo-a desabrochar com seu toque de ternura
E a flor se viu divinamente bela!!!
Colocada em um berço de espinhos
Mas nenhum lhe furava,
Ao contrário, lhe protegiam de qualquer invasor
E a árvore, vendo a flor, ficou tão feliz!
Que ergueu seus braços aos céus,
Num gesto de eterno agradecimento.
Aí, Deus assistindo aquela cena extraordinária,
Resolveu mandar o inverno cuidar daquela terra
E daí em diante,
Sempre que surge nessas árvores,
Seus primeiros botões,
Em seguida, vem a chuva
Acordando todas as vidas desse lugar.
Então, o mundo se cobre delicadamente
Com um lindo manto verde
Todo bordado com pontos diversos
Pelas mãos de Deus
E protegida por grandes espinhos
Reina orgulhosa a linda flor!
A flor de cactos!
Filha da árvore símbolo da Caatinga

Fátima Alves(Poetisa da Caatinga)
Natal/25.03.09
À flor do meu pé de mandacaru
Texto publicado na minha obra " Retratos Sentimentais da Vida Na Caatinga"

Beleza singela das nove horas -Versejar de Fátima Alves (Poetisa da Caatinga) Cel. João Pessoa/São Miguel/ RN

                               Beleza singela das Nove Horas
Pequeninas e tão singelas
Todas lindas e bem alegres
Cada uma a exibir
Beleza e cor lá na janela
Flores chamadas de nove horas
E não importa a diferença
Que está na cor e nas suas pétalas
Só as chamamos de nove horas
Pois nessa hora elas despertam
E desabrocham muita beleza

Essas florzinhas bem delicadas
São muito fáceis de cultivá-las
Atrai abelhas e besourinhos
Que encontram nelas seus alimentos
E também brincam com suas pétalas
   Ato singelo a me encantar...

Quando levanto e olho pra elas
Todos os dias no meu jardim
E as tenho também em minha janela
Que coisa mais linda meus olhos ver
Beleza breve nessas florzinhas
Nem mesmo um dia podem viver
Encanto eterno num florescer
E sempre o tive junto a mim
As nove horas amo demais...

Fátima Alves ( Poetisa da Caatinga)
Natal/26.10.2009

TEXTO DA MINHA OBRA: "Retratos Sentimentais da Vida na Caatinga)

domingo, 22 de maio de 2011

Voz poética de Emanoel Milhomens Carvalho(Poeta de São Miguel/RN)

                          EM DEFESA DA NATUREZA!

                                                                             
                                                
                                Maria nunca gostou
    De ver uma árvore cortada   
    Pois nos seus galhos repousa
    O ninho do beija-flor                                               
                                        

                                                    Maria nunca gostou
                             De ver na mata a queimada
                            E a fauna correr assombrada
                            Procurando um Salvador...

      
                                                   
                                          Maria nunca gostou
                                  Do ser que prende a vida  
                                        Numa gaiola  fornida
                                       Um tristonho cantador...


                                                    
                
Maria nunca gostou
Da espingarda traiçoeira
Do gancho da baladeira
De onde o animal tombou...
                                   Maria nunca gostou
                       Da vara do carroceiro
                       Do chicote do vaqueiro
                       E do animal  a dor...

Autor: Emanoel Milhomens de Carvalho
Natal / RN - 2011
Texto dedicado a minha esposa Poetisa Fátima Alves- Uma camponesa ambientalista... que em sua convivência me ensinou a amar e presevar a natureza, me tirando um prazer monstruoso que antes eu sentia em caçar de espingarda e pescar. Hoje também sou ambientalista! E nosso filho é Biólogo... Uma dádiva de Deus em nossas vidas.