Ensaios poéticos

Postagens populares

Caatinga/ mandacaru em flores

Caatinga/ mandacaru em flores

Árvores da Caatinga

Árvores da Caatinga
Mufumbo florido

Visitantes

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Mensagem da poetisa da Caatinga / Fátima Alves para a SPVA /RN

     
Essa foto foi tirada no primeiro Sarau que fiz em minha residência, para divulgar A SPVA aos meus amigos e amigas.  Era março de 2009, (Meu aniversário, em sigilo,rsrsrsrs) só depois que chegavam, aí ficavam sabendo.  Nesse dia compareceram 22 poetas e mais de 40 convidados. Algumas fotos já  estão  expostas nessa matéria.  

Ainda no meu aniversário!!!
Deth Rhack, ( de verde) uma poetisa que conheci pela TV, e foi justamente pela força do seu discurso que reslovi fazer parte do movimento poetasdelmundo e em seguida procurar a SPVA. Os demais São: Acaci, que tocou lindamente do início a quase o final, perto dele, A Poetisa Alzhê que declamou coisas lindas,, feitas na hora, só para mim, A de preto é Flauzineide, que na época mesmo com dificuldades, veio trazer  luz e magia para esse evento. A de blusa vermelha, é minha grande amiga de trabalho, Yolanda, Musa do poeta Tião, atualmente o Vivce presidente da SPVA.
Sou sensível como as flores que vivem apenas horas. Assim sou eu...

       Mediante uma atitude indevida da SPVA para comigo, Poetisa da Caatinga ( Fátima Alves), a qual já relatei por escrito neste blog, e perante o desrespeito de se manterem em absoluto silêncio ou não ter dado a menor importância à minha sensibilidade... OREI MUITO! Conversei com dois advogados de minha família, eles me aconselharam a escutar meu coração... E mesmo com ele completamente magoado... Decidi deixar que o tempo ensine, aos que me injustiçaram, o valor da ética e da justiça, muito embora, eu só acredite  que apenas em DEUS posso encontrar a verdadeira justiça.
            Que o meu caso posssa servir como exemplo, para que essa Sociedade (SPVA) que nada tem de democrática, não prejudique mais ninguém... Em mim a marca da DOR ficou... porém, o tempo se encarregará de ir tirando as dores, até sarar a ferida e deixar apenas uma fina cicatriz.
            E aqui na minha página, onde tanto divulguei a SPVA nos eventos que promovia sem nenhum patrocínio, mas apenas por amor a ARTE.  E assim, eu a levava nas escolas e também, a trazia para minha residência. Hoje, estou usando o meu pensar escrito, para dizer que  resolvi sair da mesma, devido o descaso da comissão organizadora e presidência para comigo, no tocante a não responder em nota escrita o que pedi para aliviar minha dor... e me sentir sem ferida na minha dignidade.

Tião, hoje  Vice- presidente da SPVA, NUm lindo Sarau Afro-brasileiro em minha residência.
 Jânia Souza no dia do meus aniversário num  lindo e bucólico Sarau em minha residência.
Pedro Grilo e Hilda Furacão, no Sarau do meu aniversário.Porém, era meu aniversário, mais ninguém sabia, fiz como se fosse um Sarau para apenas nos alegrarmos.
Poetisa Shânya Lacerda, minha amiga, a mesma foi quem coordenou as apresentações deste Sarau do meu aniversário, mas, nem ela sabia
Estão cantando parabéns!
Tudo mudou ficou surpreso! Depois da revelação que era o meu aniversário, comemorado pela primeira vez...Hora do parabéns!!! Este foi o único aniversário que de fato comemorei, pois não comemoro aniversários... Abri espaço só pára divulgar a SPVA para Meus amigos e familiares.
Eu  muito feliz!!! Nos tempos em que a SPVA Preenchia vazios de minha alma... Nesse dia, minha singela casa recebeu 72 convidados, era um Sarau afro-brasileiro, e foi o que fez mais sucesso, pude divulgar a SPVA para mais de 50 pessoas... vieram amigas áté de Pau dos Ferros. E foram muitos , muitos os momentos em que por amor a Arte, procurei dar  fama e fortalecer  esssa Sociedade...
Uma mostra de utensílios que herdamos dos povos africanos e também de nossos índios
Nosso espa foi pequeno! Presisamos elastecer...
 
                       

          Aqui estou com minha amável amiga Poetisa Jânia Sousa, a qual, foi a primeira poetisa que conheci na SPVA, ainda na primeira gestão de Zé Martins. Mas nessa época, eu  ainda não era membro da SPVA, nem tampouco, me mostrava como poetisa. Pouca gente sabia desse meu dom... Essa amiga( Jânia Sousa) nunca faltou  em nenhum dos nossos Saraus, tanto na escola, como na minha  casa. E por tudo isso e muito mais, eu a considero uma pessoa cheia de luz e energias positivas. Por isso, resolvi me despedir da sociedade ao lado dela, mas também poderia ser Deth Rhack,  a poetisa que me fez desatar as asas e voar pelo o infinito.
                     E para concluir,  desejo para o coração dos coordenadores e diretoria da SPVA, uma primavera com muitas flores de luz, justiça e esperança... E aqui no meu jardim, vou cultivar um pé de perdão, porque, quando ele florescer, aí, meu coração voltará a ser leve, por não mais estar magoado.

Fátima Alves/ Poetisa da Caatinga, poetisa que primeiro conheceu a poesia, para somente após os 10 anos de idade, conhecer o mundo da palavra escrita, e através de seu pai, que simplesmente lia  lá nos livros do Mobral.
Adeus a todos vocês! E quando eu precisar de poetas chamarei os que foram meus amigos, mas não os chamarei em nome da entidade SPVA, os chamarei, apenas por serem poetas, por terem esse dom, que se guarda na alma... E que não precisa necessariamente de entidade.

Foi nesse dia de 2009 que cheguei na SPVA, era um dia de festa, estavam, comemorando o aniversário da Entidade, eu  li para esses poetas, poemas do meu primeiro livro, "Florescer da  Alma". Se bem observarem estou lá na última fila, junto co meu esposo.

 Cheiros poéticos , com perfumes de alegrias!

Fátima Alves/ Poetisa da Caatinga Potiguar