Ensaios poéticos

Postagens populares

Caatinga/ mandacaru em flores

Caatinga/ mandacaru em flores

Árvores da Caatinga

Árvores da Caatinga
Mufumbo florido

Visitantes

sábado, 21 de maio de 2011

A um Ipê Rosa - Voz poetica de Fátima Alves( Poetisa da Caatinga) São Miguel/ Cel. João Pessoa/ RN


A um Ipê Rosa que mora num canteiro da cidade

 Oh! Minha nobre árvore!

Beleza e encanto das nossas matas
Tão rara agora de se encontrar
Me alegro em te ver!
Mesmo sufocada no canteiro da cidade
E por ti me sensibilizo...
Desejo muito te salvar
Te salvar das sangrentas mãos humanas
Nossas pequenas e malvadas mãos
Quanta maldade fizeram contigo
Estão te exterminando da natureza
E nem percebem a tua grandeza
Como tu és linda!
Formosura exuberante!
Meus olhos por ti se encantam
Magia tem tua imagem pra minha alma
E pra ti meu espírito verseja
Versos singelos...
Dedicados a você minha fada rosa
Que tanto seduz o meu olhar
E me leva a ser abelha, borboleta e beija-flor
Ou até mesmo pequenina formiga
Só para poder passear no encanto das suas flores
E me envolver em tamanha beleza
Sabe! Meu lindo Ipê Rosa!
Tenho certeza! Que no meu mundo de magia...
O Sol e a Lua ao ver seu florescer
Descem do céu por um breve instante
E abraçados cantam um canto de amor
Agradecidos por ter você na terra
Tão divinal em esplendor
Pra ser cenário do seu amor...


Fátima Alves
Natal /29.11.09
                   “Ao nobre e raro Ipê Rosa

Ao Ipê Amarelo- nos versos da Poetisa Da Caatinga- fátima alves

 
 


 
Ao Ipê amarelo












Ao Ipê Amarelo
Meu grandioso ipê amarelo
Sou por ti apaixonada
E parte de mim se derrama
Na tua beleza encantada

És uma alma tão florida
E não há alguém no mundo
Que por ti não se encante
E não te leve em pensamento

Ah! Meu nobre ipê!
No dia em que eu morrer
Se eu poder ser uma flor
Ficarei nos seus buquês!


Fátima Alves/Poetisa da Caatinga
Natal / 22/11/2009
“Aos últimos Ipês amarelos do meu RN”

sexta-feira, 20 de maio de 2011

VOZ POÉTICA DE EMANUEL CARVALHO - POETA MICAELENSE / ALTO OESTE SERRANO/RN















O velho do Engenho

                        Velho e com uma só visão
                        Essa é a lembrança que tenho
                        Daquele velho do engenho
                        A quem tive admiração
                        Por todos bem conhecidos
                        Foi bom pai e bom marido
                        E querido na região

Seu engenho foi referência
Onde os vizinhos moíam
Toda produção traziam em tropa de animais
Dentro dos canaviais orientava a produção
Do corte a execução
De seus produtos finais

                       Produzia seu engenho mel alfenim e batida
                      A rapadura conhecida
                      A mais doce da região
                      Sob sua proteção quinze homens que auxilia
                      Nas moagens que hoje em dia
                      Se perderam da tradição

Em frente do engenho a casa
Uns vinte metros media
Ao seu lado residia o comprador de algodão
Que era um de seus filhos
Que um comércio explorava
E a moeda que usava era a troca por produção


                    Bem velho perdeu a esposa
                   Anos depois faleceu
                   Dividiram os bens... seu o engenho ficou parado
                   Foi reduzido a ruinas
                  As animações antigas
                  Soterradas no passado

Os abastados deixaram
O tempo e o vento destruir
Nem lembrança existe mais
Dos que habitavam ali
Casa engenho e vacaria
Aonde a vida fluía deixaram de existir


            Horácio da Cunha Lima hoje é pouco lembrado
                  Junto a ele seu legado foi pelo tempo esquecido
                  Talvez que algum amigo ainda tenha em lembrança
                  As animações do engenho pelo velho promovido...

Texto dedicado ao meu avô Horácio
Também tio avô de minha esposa ( Fátima Alves/ Poetisa da Caatinga)


Emanoel Milhomens de Carvalho
Natal/20.05/2011

domingo, 15 de maio de 2011

Voz poética de Fatima Alves / Franci Fernandes – Minha amiga Estrela!

Minha amiga Estrela!
Antes de tu seres gerada por teus pais
Deus tinha milhões de projetos estelares
Para enviar a terra...
Mas ele pegou um punhado deles
Olhou um, a um...
Todos eram fascinantes
Então ele sentiu a energia vital
De cada um daqueles lindos projetos
E resolveu: Tu serias a escolhida!!!
Enquanto isso...!
As demais estrelas te consagraram
Te aplaudiram!!! E te entregaram aos anjos!
Para descerem dos céus e num clima de amor
Aproximar seus pais para te gerar
Te dar corpo...pois antes, quando no céu
Eras apenas a energia de paz que habitava
Num corpo celestial... Numa linda estrela!
Que adorava olhar a terra lá do mais longínquo infinito
Antes de seres o que és! Tu já eras!
E eras uma magnífica Estrela!
Luz que enfeitava a noite dos nossos céus...
E ao passar para o plano terrestre... Tua missão não seria fácil!
Reflita sobre as missões que já desenvolvestes !
E veja! Que Deus, o nosso criador... Te ama demais!
Pois somente a uma Estrela muito forte e tão singela
Deus entregaria, Nobres Missões!
Para não ofuscar ninguém com sua luz ...
Agora és estrela terrena, passageira...
Porém , ainda tens a luz primeira...
Aquela que Deus te deu ...
Quando lá no céu pelo poder da palavra
Te fez Estrela espiritual! Estrela eterna...
Todos os dias, agradeça por ser Estrela!
Pense no que estou te escrevendo...
Mesmo que ninguém te diga isso!
Aceite ser a Estrela que você sempre foi...
Nenhuma decepção poderá apagar seu brilho
És brilho divinal!
E eu adoro ter a sua luz na minha vida...
Pois poucos são nossos amigos (a)...
Mas aqueles (a) que são... conseguimos ver sua luz!
E essa luz... vem de Deus!
Alegre-se amiga! És projeto divinal!
E não permita que sua luz fique fraca...
Porque te conheço! E só te vejo Brilhando muito...
Trazendo sempre raios de paz!
Força e fé! Minha Estrela Amiga!
Deus estarás sempre contigo...
Fatima Alves( Poetisa da Caatinga)
Natal/15/05/2011