Ensaios poéticos

Postagens populares

Caatinga/ mandacaru em flores

Caatinga/ mandacaru em flores

Árvores da Caatinga

Árvores da Caatinga
Mufumbo florido

Visitantes

sexta-feira, 27 de julho de 2012

Apelo de Fátima Alves / Poetisa da Caatinga

Não derrubem a Capelinha de São João
DO NOSSO ENCANTO!











 A Capelinha de São João

Quem um dia conheceu Encanto
Viu de longe uma capelinha
Que fica lá no alto da serra
Onde a cidade cresceu aos seus pés
Para ir lá na capelinha era difícil demais
Só se ia pagar promessas
Ou então por aventura,  lá meditar...
Pois lá de cima a visão é deslumbrante
Essa capelinha foi fruto de uma graça alcançada
Por uma Senhora da família Souza
Gente simples, Porém no futuro  bem além
Ela seria a avó de célebres professores de Encanto,
Posso citar Deusa Souza ( 1ª  a ter titulação de Mestre)
Medianeira Souza ( 1ª a   ter título de Doutora)
Professora Marta  (minha referência em Português)
Formada em letras, mas não sei dos seus demais títulos
Professor Itamar, formado em letras
E não sei dos seus demais títulos...
Pois a vinte anos saí daí.
Faz muito tempo na cronologia  humana
Mas nas minhas lembranças foi ontem
E lembro-me perfeitamente da capelinha de São João
Uma capelinha singela como aquela de melão
Dos brinquedos cantados na cultura  do lugar
Mas essa tinha poder para quem tinha fé
Lá dentro vivia presente na Ausência
O espírito de São João
E também uma imagem sua
Ali é um ponto sagrado da cultura imaterial ( a fé)
E também material (a capelinha)
 Ambos são pontos sagrados
E no meu tempo ninguém ali
Praticava vandalismo
Subi inúmeras vezes lá naquela capelinha
Azulzinha ou branquinha
 Pois alguém a pintava todo ano para a Missa de São João
Ali rezei incontáveis terços e acendi velas
Pagando promessas das minhas amigas
E algumas minhas...
Depois das rezas sentávamos e nos deslumbrávamos
Com a visão da imensidão infinita para o alcance do nosso olhar... 











E em pensamentos eu voava  em prosa e verso
Por toda aquela imensidão por nós  comtemplada
Aquele lugar sempre foi ponto sagrado
E na nossa cultura da época
No sagrado não se mexia
O tempo passou veloz
E um simples panfleto que vi aqui em Natal
Me deixou inquieta e revoltada

A nossa capelinha de melão por ser singela
E  de São João Pela Cultura imaterial da fé
Pelo que li e vi em  um projeto
Será derrubada para dar lugar
A  um ponto mui belo
Que  encanta os olhos de quem for lá
Bem Sofisticado  para receber o turismo da fé
Atraídos por  mirantes e outras belezas
Frente as minhas inquietações
Sobre esse asssunto...
 Mesmo já não sendo mais católica
Fui até Encanto na intenção
De pelos menos ser  ouvida pelo Padre da Cidade,
Mas o mesmo não quis conversar comigo
Disse que estava apressado!!!
E tudo já estava resolvido  e aprovado pelo Bispo
Só lhe pedi uns 10 minutos ( Seria breve)
Mas o Padre, não me deu importância alguma....
Entrou no carro e saiu muito rápido
Nem perguntou eu era?
Me considerou insignificante
Para falar daquele assunto...
Mas deveria ter me ouvido...
Sou gente! E padre é para ouvir
Até os segredos mais profundos do povo
E inclusive ser fiel a eles!
Mas eu não fui me confessar...
Se fosse iria demorar tenho muitos pecados!
Mas na verdade só fui pedir para não derrubar a capelinha
"A capelinha da Minha infância"
Porque outra em seu lugar  perde o simbolismo primeiro
Mas tudo bem!  Nesse mundo só se vale o que se tem
E eu só tenho meu repertório Cultural...
Que nessa sociedade tem pouca...
Ou não tem valia alguma
Sou uma simples Professora
Pesquisadora, escritora e ativista cultural
Todos os pilares do meu repertório de conhecimento
 Foram construídos aí nessa linda e pacata cidade
 E justamente por isso,  me atrevi a entrar  nessa quetão    
 Porque  a  meu ver, quando se trata de fé
 Não se mexe naquilo que o povo consagrou
 Essas mudanças surgirão do próprio povo
 E são lentas, podem durar gerações...
 Sendo assim,  respeitado  mundo do sagrado
 A capelinha deveria permanecer para sempre
 Do jeito que quem fez a promessa a construiu
 Inclusive precisa  colocar de volta suas telhas naturais
 Pois não eram de brasilite, disso lembro muito bem.
 E ainda, trazer de volta suas imagens
 Em respeito ao povo católico que as cultuavam
 Porque ela, a capelinha, é Patrimônio Cultural da Cidade
 E não foi feita para turistas, mas sim, para ROMEIROS
 GENTE HUMILDE !Que alcança seus pedidos pela fé
 O que as vezes de fato é milagre!
 E  há outras graças  que  muitas vezes poderiam
 Serem  alcançadas  pelas políticas públicas do lugar
 Nesse campo apesar de termos tido grandes melhoras
 Em todo o país...
 Mesmo assim, nunca o poder público
 Conseguiu  atender de fato
 Pelo menos as necessidades básicas do seu  povo
 E nessa lacuna entre o que nos falta e o Sagrado
 Se recorre com toda força aos arquétipos da fé
 Portanto,  quero pedir ao povo  Católico de Encanto
 Que não permitam a derrubada da Capelinha
 E nenhuma mudança nela
 Apenas uma constante e vigilante manutenção
 Porque  Lá naquela Serra!
 Aquela capelinha pequenina
E aparentente sem valor
É uma estrela coberta pelo ouro da fé
Que com certeza estar brilhando
Em algum lugar da dimensão divina
E de forma singela e  pura 
A existência dela na Serra
É a marca real de uma época
Da História do povo encantense...
Que não deve de maneira alguma ser apagada
"A memória de um povo precisa  permanecer intacta" 
"E viva para seus descendentes..."
Agora, em  relação as demais obras de arquitetura
Que estão sendo feitas na Serra não sou contra
Pelo contrário, apoio, pois facilitou o acesso as romarias
E quando concluídas, se for respeitada a Capelinha
Patrimônio Cultural que agrega o Patrimônio imaterial

Do nosso povo...  A fé! O insconsciente popular...
Tudo bem!
O lugar ficará lindo!
Deverá haver pontos para se vender água
Comidas, picolés, sorvertes e outras coisas...
Isso é bom! E vai gerar renda para os encantenses
A cidade  também ficará mais conhecida...
Concordo com qualquer bem feitoria
Desde que não se toque em nada da Capelinha
Apenas restaure o que foi danificado
Por atos de vandalismo!
E quanto ao projeto  da prefeitura
Ali ao redor dela dar para refazê-lo
De forma belíssima
Sem a sua extinção!!!
Porque ela sempre foi  ponto cultural de fé
Encanto é minha Pátria adotiva...
Por isso tenho o direito de defender 
O que venha ferir a Cultura do meu povo
Espero ver prosperar esse projeto...
Porém, da forma como aqui expliquei
E mesmo, já sendo protestante há duas décadas
Ainda quero ir visitar  esse monumento
Mas espero ver a Capelinha toda azulzinha
Cercada por canteiros floridos!
Com  borboletas e beija-flores
Bailando livres para  os visitantes!
Independentes de suas crenças...
Acorda Povo de Encanto! Católicos ou não...
Reajam e não deixem derrubar
O ponto de fé mais alto do município
Isso é muito triste não deve acontecer...
Porque  apaga parte da memória histórica
De uma cidade tão jovem!
E nenhum patrimônio Cultural
Deve ser destruído
E por mais simples que seja
É nosso dever conservá-lo
Fátima Alves/ Poetisa da Caatinga
 Ex- aluna  das Escolas:  Adolfo Fernandes e CID ROSADO
E ainda, Ex-  professora da E. E. Justino Granjeiro