Ensaios poéticos

Postagens populares

Caatinga/ mandacaru em flores

Caatinga/ mandacaru em flores

Árvores da Caatinga

Árvores da Caatinga
Mufumbo florido

Visitantes

segunda-feira, 29 de julho de 2013

O menino que não tinha um nome

Certa vez um menininho
De nome nunca lembrado
Queria saber o porque
De não poder ser chamado
E um dia saiu pelo mundo
Pra seu nome encontrar

O menino caminhava
E a todos perguntava
Onde havia um nome
Sem um dono batizado
Mas ninguém lhe informava
Onde esse nome estava

Caminhava dia e noite
Querendo encontrar seu nome
Numa noite muito triste
Chegou num imenso deserto
E Ali dormiu  na  areia fria
Cansada de tanto andar

Enquanto o menino dormia
Um lindo sonho ele teve
Sonhou que uma fada dourada
Lhe trazia uma caixa trancada
Lá  dentro seu nome estava
Mas a chave... ele tinha que encontrar
E a caixa não podia ser violada

Quando o menino acordou
Percebeu  que estava no deserto
Mas como por  um milagre
Perto de um oásis ele estava
 E ai, saiu correndo pra lá
Querendo a caixa encontrar

E ao chegar no oásis
A caixa logo ele vê
Então percebe que o sonho
foi uma visão lá do céu
E agora  já tem o seu nome
Mas ainda não sabe qual é

Procurou por todo o oásis
E não encontrou a tal chave
Novamente a noite chegou
E o menino cansado dormiu
E mais uma vez a tal fada
Lá em sonho com ele falou

Ela disse que ia lhe dar
Uma pista  bem fácil de ler
E na areia daquele deserto
Escreveu oito letras encantadas
Elas eram o segredo da fechadura 
Mas precisava a palavra formar
Antes do vento da noite chegar
E  se acaso o vento chegasse
logo as letras seriam apagadas

E quando o menino acordou
Na areia  estavam as letras
Aí  com muita esperança
Essas letras ele  olhou
E foi escrevendo com elas
O que um anjo lhe mandou

O anjo lhe ensinava dizendo
A 1ª é a letra da fada
A 2ª é a letra esperança
A 3ª é a letra da lua
A 4ª é a letra do irmão
A 5ª é a letra da compreensão
A 6ª é a letra da igualdade
A 7ª é a letra da distancia
A 8ª é a letra do amor
A 9ª é a letra do diálogo
E a 10ª é a letra do encantamento

Depois de errar várias vezes
O menino enfim acertou
A fechadura se abriu
E  lá naquela simples caixa
Uma placa ele encontrou
Escrito nela estava
A palavra que ele formou
Então o menino gritou
Felicidade! Eu sou o teu dono!
O resto da história você é quem faz...
                     ***
Texto da minha Obra "Florescer da Alma"
 
Dedicado a minha sobrinha Gabriela Mabel de 09 anos